‘Não havia sinalização e nada vai trazê-lo de volta’, diz filha de motorista após queda de viaduto


Rio – Bruna Peixoto, filha do motorista Adeir dos Anjos Peixoto, de 62 anos, que morreu após a viga de um viaduto desabar em cima de um caminhão, no início da noite desta quinta-feira, em Coelho Neto, na Zona Norte, afirmou ao DIA que não havia sinalização e que a carreta possuía altura para passar no local. Por conta da queda, Deivid Sangi da Costa, 29 anos, ajudante do motorista, também não resistiu. “Não havia qualquer sinalização da altura do viaduto e, ainda assim, a carreta tinha altura para passar. Meu pai tinha 40 anos de profissão, era instrutor de autoescola e sua maior preocupação era ser prudente no trânsito. Nada vai trazer meu pai de volta mas, a partir de agora, espero que os responsáveis sinalizem a área para que outras pessoas não sofram acidentes”, desabafou Bruna. A queda da viga do viaduto aconteceu no trecho que fica debaixo da Avenida Brasil, na altura do número 20.550 e da passarela 28 da via expressa, que faz parte do BRT Transbrasil. A estrutura de concreto e ferro caiu sobre o caminhão onde estavam as vítimas, o que dificultou o trabalho de remoção. As equipes da Prefeitura do Rio tiveram que serrar a viga e içá-la para remover os corpos apenas na manhã desta sexta-feira.

Familiares do ajudante Deivid Sangi, outra vítima do acidente, também apontaram o descaso com a sinalização das obras. “É uma obra totalmente sem planejamento e sinalização. É um absurdo o descaso com que a prefeitura as conduz, principalmente na Transbrasil. Com certeza vão acontecer outras tragédias. Esperamos que os órgãos tenham um pouco mais de respeito com a população. Não vemos isso acontecer na Zona Sul, infelizmente acontece nas áreas mais pobres”, disse Edinei Tomás da Costa, 48, primo da vítima.Em nota, a Secretaria Municipal de Infraestrutura e Habitação informou que”“um caminhão carregando contêineres, com a altura acima do permitido, atingiu a viga pré-moldada que faz parte das obras de alargamento do viaduto de Coelho Neto, na Avenida Brasil. A viga (usada para sustentação da laje do viaduto, que ainda seria colocada) caiu em cima do caminhão por conta da colisão”.