Fechada pela Justiça para toda a população, Avenida Niemeyer vem sendo usada por Marcelo Crivella


RIO — Quinta-feira, 8 de agosto, quase 9h30. Quando três carros, escoltados por motociclistas, se aproximam da barreira que impede, em São Conrado, na Zona Sul do Rio, o acesso à Avenida Niemeyer, interditada por ordem judicial desde 29 de maio, os cones são logo retirados para liberar a passagem dos veículos, dois deles com giroscópios azuis. No dia seguinte, às 9h40: a cena a se repete. Um carro, acompanhado por outros dois, com seguranças, avança, apesar da barreira, e cruza a Avenida Niemeyer.

Nesta segunda-feira, às 10h05, o Toyota Corolla preto placa LTI-9296, o mesmo que circulava sob escolta nos outros dias, faz o trajeto de novo, proibido para todos os cariocas e turistas. Com películas escuríssimas, não deixa à vista quem está a bordo. Mas os guardas municipais, a postos diariamente ali para impedir o trânsito na via, que deixou de ser uma opção ao trânsito no Rio por risco de desabamentos da encosta, respondem sem dúvidas. Trata-se de Marcelo Crivella. O prefeito, segundo os agentes, tem usado a rota.

Comboio do prefeito Marcelo Crivella atravessa a Avenida Niemeyer
Comboio do prefeito Marcelo Crivella atravessa a Avenida Niemeyer Foto: Pablo Jacob / Extra

A 2ª Promotoria de Justiça de Ordem Urbanística da Capital informou, por meio de nota, que há um requerimento de aplicação de multa ao prefeito pelo descumprimento da decisão judicial — no processo, o valor atribuído para casos semelhantes é de R$ 120 mil. A reportagem levou as fotos feitas na sexta-feira e na segunda-feira até a assessoria de imprensa de Marcelo Crivella, mas a resposta que obteve foi que o assunto não seria comentado.