Morre, no Hospital Santa Teresa, paciente internado há dez dias por contaminação pelo Coronavírus

A notícia bateu como uma bomba na cidade. Após dez dias de internação em unidade de terapia intensiva de um hospital particular de Petrópolis, o paciente, de 65 anos de idade, não suportou a força da doença e morreu na noite desta sexta-feira. Ele e a esposa, que passa bem apesar de internada e ainda sem ter confirmação em relação aos exames, haviam retornado de recente viagem ao Egito e fizeram uma escala nos Estados Unidos. Esta é a primeira morte relacionada ao Coronavírus na cidade.

Petrópolis tem, hoje, 24 casos sendo investigados e aguardando resultados de exames realizados em laboratórios do Estado. Outro caso foi confirmado na manhã da última quinta-feira. Trata-se de uma mulher de 29 anos que contraiu a doença numa viagem a Salvador e São Paulo recentemente. Ela deu entrada na Unidade de Pronto Atendimento no Centro da cidade onde foi atendida, passa bem e mantém isolamento domiciliar. 

Nesta semana, o prefeito Bernardo Rossi tomou uma série de duras medidas para conter a disseminação do COVID-19 na cidade. Alteração nos horários do comércio, férias para alunos de escolas públicas e privadas, fechamento de bares, pontos turísticos, cinemas e teatros, modificação no atendimento de restaurantes e cerco policial em estradas proibindo a chegada de moradores de outros municípios, entre outras. Mesmo com todas as determinações, muitos petropolitanos parecem ainda não ter percebido a seriedade do problema.

A cidade precisa entender que estamos lidando com uma doença séria e se comportar com maturidade. Todos estão sentindo na pele o peso das duras medidas que tivemos que adotar. Preciso que entendam que é para o bem de todos os moradores. Fiquem em casa e saiam às ruas apenas em caso de extrema necessidade”, desabafou o prefeito Bernardo Rossi.

A vigilância epidemiológica lembra a todos que o vírus tem enorme poder de transmissão e que a melhor maneira de se proteger é através do isolamento imediato e medidas básicas de higiene, lavando as mãos e utilizando o álcool gel. “Se os petropolitanos insistirem em não cumprir as regras estabelecidas vamos, em poucas semanas, contabilizar mais mortes devido à doença”, frisa a superintendente de Atenção à Saúde, Fátima Coelho.

A importância do cumprimento das medidas de prevenção estabelecidas pelo Ministério da saúde e em Decretos do Governo Municipal, reforçam a importância destacada pelo Prefeito Bernardo Rossi e equipes de vigilância sanitária e epidemiológica.