Como cientistas usarão coronavírus geneticamente alterados para achar cura

Sem tempo, irmão

  • Cientistas brasileiros vão usar coronavírus geneticamente modificados em pesquisas
  • Intenção é deixar vírus menos perigoso e mais fácil de ser manipulado em laboratório
  • Vírus são “criados” pelos cientistas sem a capacidade de infeccionar humanos
  • Pesquisa no Cnpem ajudará na busca por um remédio contra a covid-19
  • Cientistas dizem que processo é seguro, feito por pessoas treinadas e centros preparados

Cientistas brasileiros do Cnpem (Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais), situado em Campinas (SP), receberam na última semana uma autorização para fazer pesquisas com o coronavírus “geneticamente modificado”. A permissão do CTNBio (Comissão Técnica Nacional de Biossegurança), que regula pesquisas que envolvam biossegurança no país, envolve um projeto para achar um remédio eficaz contra a covid-19.

A pesquisa em questão segue em paralelo à que busca um composto para tratar o coronavírus, com testes in vitro de células infectadas com o organismo. Esta pesquisa, que também ocorre no Cnpem, já achou inclusive dois medicamentos com potencial inibição contra o vírus, sendo que um deles tem resultados bem semelhantes aos da cloroquina em teste com células – ainda é preciso averiguar a eficácia em humanos de fato.