Governo do Rio vai suspender benefícios para servidores a partir de maio

Servidores do estado que trabalham em áreas de risco vão ver o contracheque mais minguado a partir de maio.

Os benefícios que chegam na folha de pagamento por conta do deslocamento — estão na lista o auxílio transporte e as gratificações de difícil acesso e de difícil provimento, além dos adicionais de insalubridade e de periculosidade —, foram cortadas para quem, como os professores, está fazendo o serviço de forma remota por causa da pandemia do novo coronavírus.

Segundo a Casa Civil do governador Wilson Witzel (PSC), a legislação determina que esses benefícios só sejam concedidos quando os trabalhadores efetivamente estejam comparecendo ao local de trabalho.

A pasta ressalta que órgãos que atuam diretamente no combate à pandemia, como profissionais de saúde, não vão deixar de receber a verba. E avisa que servidores que estejam se deslocando, precisa entrar em contato com o setor de recursos humanos.

O impacto é estimado em R$ 17 milhões por mês.